Immo Invest

Como se faz Valuation de uma empresa que receberá investimentos?

Quanto vale a empresa? Essa é a pergunta que todo investidor deve fazer na hora de alocar recursos em ações ou equity crowdfunding. O cuidado ajuda a identificar as melhores oportunidades de negócio para o longo prazo. Porém, o processo de valuation nem sempre segue critérios óbvios. Entenda melhor a seguir.

O que é valuation de uma empresa

Valuation é a ferramenta que permite estimar o valor de uma companhia. Para tanto, usam-se modelos matemáticos quantitativos com base no lucro ou no fluxo de caixa, por exemplo.

Só que esses números não contemplam todas as variáveis. Junto a eles, também é necessário realizar um julgamento mais subjetivo. Deve-se entender a posição que a marca ocupa no mercado e quais são suas possibilidades de retorno financeiro no cenário econômico futuro.

Ou seja: a avaliação do valor da empresa está mais para uma percepção/projeção que para uma afirmativa incontestável. Trata-se de um método para facilitar decisões, mas que mantém um grau de incerteza.

Como fazer valuation para investir em empresas

Existem basicamente três maneiras de fazer valuation: a partir da renda, do mercado ou do valor patrimonial da organização. Acompanhe:

1. Valuation por Fluxo de Caixa Descontado (FCD)

Esse método estima o fluxo de caixa para os próximos períodos. Primeiro, calcula-se a diferença entre receitas e despesas previstas. Depois o resultado recebe uma taxa de desconto baseada no risco da empresa (tipo de atividade exercida, custos com eventuais financiamentos etc.).

A previsibilidade depende do histórico do empreendimento. Quanto mais estável e sólida for a situação financeira, mais acertadas serão as estimativas. É por esse motivo que valuation de startups não deve ser feito com FCD. Os resultados seriam pouco confiáveis, diante da falta de dados preliminares.

Saiba mais: Qual é o futuro das fintechs no Brasil?

2. Valuation por Múltiplos de Mercado

A metodologia compara o desempenho de uma companhia com os resultados da concorrência. Podem ser usadas informações como lucro operacional, EBITDA ou soma do valor das ações.

Esse tipo de valuation parte da ideia de que, se a empresa foi vendida por “X” no passado, outra organização do mesmo porte pode ser negociada por um valor similar. Mas claro que uma comparação efetiva deve considerar as semelhanças entre elas: segmento de atuação, taxa de crescimento ao longo dos anos, entre outras. Realidades parecidas levam a projeções mais objetivas.

3. Valuation por Valor Patrimonial

Esse enfoque apresenta um valuation mais realista de empresas que estejam passando por dificuldades financeiras. Para isso, o cálculo do valor patrimonial leva em conta o patrimônio líquido da instituição.

Parte-se da soma de todos os ativos circulantes e não circulantes: dinheiro em caixa, pagamentos a receber de clientes (compras parceladas), estoque, imóveis, maquinário e por aí vai. Em seguida, subtraem-se os passivos: obrigações trabalhistas, tributos, dívidas com fornecedores e demais despesas. As cifras finais apontam quanto a organização vale naquele momento.

Gostou do artigo de hoje? Esperamos que sim. Caso precise de mais conteúdos sobre investimentos financeiros, continue acompanhando o blog da IMMO Invest. Traremos novidades em breve. Até lá!

Esse artigo não é uma recomendação de investimento.

Immo Invest

Adicionar comentário