Immo Invest

Investir em startup ou em empresa consolidada?

Por que investir em empresa consolidada

Diante das incertezas de se apostar num negócio embrionário, alguns investidores ainda preferem o mercado tradicional. E, de fato, investir em empresas consolidadas acaba sendo mais seguro. São marcas fortes, com clientela cativa e que transmitem credibilidade aos acionistas.

Basta conferir os nomes que se destacam na Bolsa de Valores. Lá estão os grandes conglomerados com anos de estrada e que, muitas vezes, lideram as vendas em seus respectivos setores econômicos. É natural que eles sempre fechem o ano no positivo, apesar das crises e das oscilações. No fim das contas, os dividendos serão razoáveis.

Só que qualquer mercado tende à saturação. Quando os números permanecem estáveis demais por muito tempo, é sinal de que você precisa diversificar a carteira de investimentos para elevar seus ganhos. E aí, novamente, seu olhar deve se voltar para quem está começando.

Existem meios-termos entre investir em startup ou empresa consolidada. Por exemplo, você já pensou em alocar recursos num segmento de franquias?

Nesses casos, a marca tem um modelo de negócio que já foi testado e aprovado, mas que pode ainda não ter atingido muitas praças. Ou seja: tanto as chances de sucesso são maiores, quanto o potencial de expansão é alto.

Toda vez que um franqueado abre uma nova loja, ele conta com respaldo técnico e logístico para fazer o empreendimento dar certo. Logo se cria uma clientela cativa, a economia local gira e o faturamento aumenta. Pronto, a rede fica mais forte, pronta para se espalhar por novos locais do país. E, óbvio, os investidores lucram mais.

Vantagens e desvantagens de investir em startup

Custear novos negócios pode ser uma excelente opção. Além de aquecer a economia do país, você tem a chance de obter dividendos muito acima das aplicações financeiras tradicionais. Porém, entre investir numa startup ou numa empresa consolidada, qual seria a melhor estratégia? Fique conosco, que vamos ajudar você na decisão.

Uma startup geralmente surge de uma ideia inovadora. É aquele tipo de companhia que pode revolucionar o mercado com novas tecnologias, serviços qualificados e um jeito inédito de produzir.

Claro que tamanho potencial atrai os olhos dos investidores. Imagine alocar recursos no novo Uber, no próximo iFood ou, quem sabe, num segmento que ainda nem exista! Certamente os dividendos compensarão.

E a questão é justamente dinheiro. Para crescer, as startups precisam recorrer ao capital de terceiros. É graças aos investidores-anjo, ou a outros modelos de financiamento, que jovens inteligentes e com pensamentos disruptivos conseguem botar seus projetos em prática.

Mas… E se não der certo? Pode ser que o protótipo daquele produto incrível não funcione. Ou, talvez, a sociedade ainda não esteja preparada para mudar hábitos, então aquele serviço promissor recebe pouca adesão. Pode ser inclusive que a inexperiência dos gestores da startup dificulte a consolidação da marca.

Existem inúmeros empreendimentos que falham em obter sucesso – seja porque surgiram no contexto errado, seja porque não eram tão bons assim. Portanto, quando você escolhe investir em startup, deve ter ciência dos riscos envolvidos. Trata-se de uma operação ousada, que demanda visão de mercado, conhecimento sobre as tendências da sociedade e noção das reais necessidades do público.

Quer saber detalhes sobre investimento em franquias? Então siga de olho no blog da IMMO Invest. Traremos novidades em breve. Até lá!

Immo Invest

Adicionar comentário